CLEONICE RAÍNHO THOMAZ RIBEIRO

CLEONICE RAÍNHO THOMAZ RIBEIRO nasceu em São José de Além Paraíba/MG, no dia 18 de março de 1915, filha de Antonio Gonçalves Raínho e Percília de Souza Raínho. Morando desde muito jovem em Juiz de Fora, ali fez seus estudos e formou-se em Letras. Posteriormente cursou também jornalismo na PUC do Rio de Janeiro. Poeta, romancista, novelista, lançou, ao todo, cerca de 30 livros , entre eles "Andorinhas" - trovas e "O Chalé Verde" - contos. Segundo a professora Cláudia Figueiredo, Cleonice Rainho é "uma das mineiras mais lidas no Brasil e no exterior". Nos áureos tempos de Luiz Otávio, quando Juiz de Fora possuía um dos grupos mais talentosos e atuantes do movimento trovístico, Cleonice Raínho era um dos nomes mais destacados.
Faleceu em 21 de maio de 2012, aos 97 anos.
No portão, os namorados,
são como os barcos no cais:
pelos beijos amarrados,
querem ir...e ficam mais...
Cultiva a amizade, insiste,
põe nela o fervor maior,
pois cada amigo que existe
faz nosso mundo melhor.
Na vida, estrada de dor,
vim andando, a perceber
que a amizade, mais que o amor,
ajuda a gente a vencer.
Nas fases boas apenas
devia a vida parar,
tal como nuvens serenas,
esquecidas de passar...
De minha vida contigo,
de tudo que aconteceu,
só agradeço e bendigo
a clma que Deus me deu.
Feliz de quem, alma aflita,
acende o círio que traz
para a santa mais bonita:
- Nossa Senhora da Paz!
Desce a água, docemente,
e vai o rio aumentar...
- Por que o bem que se sente
não passa ssim devagar?
Um conselho aos corações
dos que almejam vida mansa:
- Sepultem as decepções
entre as flores da lembrança.

CLEONICE RAÍNHO THOMAZ RIBEIRO