ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS

ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS (A. A. de Assis)
Nasceu em São Fidélis – estado do Rio de Janeiro, no dia 7 de abril de 1933. Reside em Maringá-PR desde janeiro de 1955.
Foi professor no Departamento de Letras da Universidade de Maringá (aposentado desde 1997).
Foi também jornalista e diretor dos jornais “ A Tribuna de Maringá e “Folha do Norte do Paraná” e das revistas “Novo Paraná” (NP) e “Aqui”.
Integrante da Academia de Letras de Maringá e da União Brasileira de Trovadores – seção de Maringá-PR.

ALGUMAS TROVAS

Tem muito mais graça a vida
quando a gente tem com quem
repartir bem repartida
a graça que a vida tem.

A natureza protesta
sempre que alguém a maltrata.
– Se matas uma floresta,
vem o deserto e te mata.

O grande tenor se cala
ante o pássaro silvestre.
– É o discípulo de gala
querendo escutar o mestre.

Ouço ainda, ao longe, o canto
de um velho carro de boi...
– Lembrança de um tempo e tanto,
que há tanto tempo se foi!

Prometi-lhe, amada minha,
mil estrelas, as mais belas.
Bobagem... você sozinha
brilha mais que todas elas!

Amigo/amiga, reparto
este espanto com você:
– o parto não é mais parto;
é download de bebê...

Vingança é coisa de gente
tresloucada ou matusquela.
– A lei do dente por dente
faz tempo ficou banguela...

ANTONIO AUGUSTO DE ASSIS